ESPAÇO DE CAPACITAÇÃO AUDIOVISUAL



Receba nossa programação
TELEZOOM PARCEIROS
PROJETOS
SALA DE IMPRENSA
FALE CONOSCO

ACONTECEU | Cursos



Antropologia Visual

com Fabiene Gama e Patrícia Monte-Mór
14, 21, 28 SET e 05 e 19 OUT
Quintas, das 19h às 22h

Humaitá, 
Rua Miguel Pereira, 38


O curso pretende apresentar um panorama dos principais debates, métodos e produções da Antropologia Visual. Partindo dos chamados filmes etnográficos, que outros desenvolvimentos podemos apontar na relação entre Antropologia e Cinema? Quais são os modos de produção desses filmes? Quais são os principais questionamentos e as principais preocupações de seus realizadores? Quais são seus campos de atuação? O curso apresentará o campo e sua relação com o cinema documentário, passará por diversos subgêneros de produção do real e apresentará as principais reflexões da área assim como seus principais realizadores. Também abordaremos os impactos da atenção aos diferentes sentidos (sons, silêncios, ritmos, texturas, cores) na construção de narrativas etnográficas. Pretendemos ampliar a noção corrente do que é a disciplina antropológica e como suas técnicas e métodos podem auxiliar na realização de produções audiovisuais: filmes, ficcionais e documentais, assim como na produção de conteúdo para programas audiovisuais.

 

Aula 1. Introdução à Antropologia Visual

a) Contextualização histórica e debates atuais da Antropologia Visual

b) Principais propostas e questões da Antropologia Visual

c) Principais referências do Cinema Etnográfico

 

Material Audiovisual:

Arca dos Zo’é. Dominique Gallois, Vincent Carelli, 1993 (22min)

Cheiro de Pequi. Maricá Kuikuro, Takumã Kuiruro, 2006 (36min.)

Childhood Rivalry in Bali and New Guinea. Gregory Bateson, Margaret Mead, 1968 (16min)

Os Mestres Loucos. Jean Rouch. 1955 (28min)

Reassemblage. Trinh T. Minh‐Ha, 1982 (40 min)

Rituais e Festas Bororo. Major Reis, 1917 (30min)

 

Aula 2. A Antropologia e os gêneros de documentários

 

a) David MacDougall e o documentário observacional

b) Jean Rouch, o filme participativo/antropologia compartilhada e a etnoficção

c) Lucien Castaing‐Taylor e a antropologia sensorial

 

Material Audiovisual:

Doon School. David MacDougall, 1997/00 (143 min.)

Eu, um Negro. Jean Rouch, 1958 (70 min.)

Jean Rouch, subvertendo fronteiras. Ana Lucia Ferraz, Edgar Teodoro da Cunha, Paula Morgado, Renato Sztutman. 2000 (40min.)

Leviathan. Lucien Castaing-Taylor e Véréna Paravel, 2012 (87 min.)

 

Aula 3. A produção contemporânea na Antropologia Visual e a Antropologia Sensorial

 

a) Filmes e antropólogos‐cineastas

b) Os métodos de pesquisa e os sentidos

 

Material Audiovisual:

As hiper mulheres. Carlos Fausto, Leonardo Sette, Takumã Kuikuro, 2011 (80 min.)

Fabrik Funk. Alexandrine BoudreaultFournier, Rose Satiko Gitirana Hikiji and Sylvia Caiuby Novaes. 2015 (25min.)

Ondas Curtas. Samuel Leal e Leandro Parinai’a, 2014 (15min.)

Transfiction. Johannes Sjöberg, 2007 (57 min.)

 

Aula 4. Antropologia Visual e produção documental. Cinema, televisão, plataformas digitais.

 

a) Eduardo Coutinho e o encontro “com o outro”.

b) Movimento dialógico e reflexivo no documentário: Santiago, de João Moreira Salles.

c) Antropologia e Cinema: novas reflexões, novos meios/formatos de produção, novos meios de exibição

 

Material Audiovisual:

Edifício Master, Eduardo Coutinho, 2002 (110min.)

Seis Histórias Brasileiras: Santa Cruz. João Moreira Salles. 2000 (56 min.)

Santiago. João Moreira Salles, 2007 (80min.)

Deixa na régua. Emílio Domingos, 2015 (53 min.)

 

Aula 5. Mídia Indígena Brasileira

 

a) Histórico

b) A experiência do Vídeo nas Aldeias.

c) Os coletivos indígenas de cinema e suas produções

 

Material Audiovisual

Iniciação do jovem Xavante. Divino Tserewahu, 1999 (56 min.)

Cineastas Indígenas. Kuikuro. 2008 (88 min.): O dia em que a lua menstruou, Cheiro de Pequi, Os Kuikuro se apresentam, O manejo da Câmera.

O Mestre e o Divino. Tiago Campos. 2013 (85 min.)

Fabiene Gama é doutora em Antropologia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales e pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, especialista em Antropologia Visual. Atualmente é professora e pesquisadora colaboradora no Departamento de Antropologia da Universidade de Brasília, parte do Núcleo de Experimentações em Etnografia e Imagem da UFRJ e do Núcleo de Antropologia e Imagem da UERJ. Desenvolve e coordena pesquisas na área da Antropologia Visual, além de ministrar cursos, oficinas e oferecer consultoria e curadori a na área. Coordenou o Fórum de Cinema e Antropologia da Mostra Internacional do Filme Etnográfico em 2011. Fundou, em 2013, a associação franco-brasileira ARPIA - Association de Recherche et Production d’Images en Anthropologie et Art. Co-dirigiu os filmes “Família Tetra” (2003, 51min. NAI/UERJ) e “Colores del Ser” (2008, 9min. EICTV) e publicou diversos artigos em revistas e coletâneas nacionais e internacionais, como “Sobre emoções, imagens e os sentidos: estratégias para experimentar, documentar e expressar dados etnográficos” e “Photo-documentation, culture and stereotypes: how the Global South is struggling for visual forms of power.”
Patrícia Monte-Mór é mestre em Antropologia Social pelo PPGAS/Museu Nacional/ Universidade Federal do Rio de Janeiro, especialista em Antropologia Visual. Atualmente é professora assistente no Departamento de Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde coordena o Núcleo de Antropologia e Imagem/NAI. É editora da revista Cadernos de Antropologia e Imagem e organizou, de 1999 a 2007, o Atelier Livre de Cinema e Antropologia, um curso de formação voltado para o uso da imagem nas ciências sociais (NAI/UERJ). Coordena diversos projetos de ensino, pesquisa e extensão no âmbito da Antropologia Visual. Fez parte da criação do Prêmio Pierre Verger de Vídeo Etnográfico, da ABA, estando em sua coordenação nos primeiros três anos, a partir de 1996. Tem atuado junto a diversos festivais dedicados ao filme documentário, com ênfase na produção etnográfica, no Brasil e no exterior. Como produtora cultural é diretora da Interior Produções, sendo coordenadora e curadora do festival de cinema documentário Mostra Internacional do Filme Etnográfico, desde 1993, além de organizadora do Fórum de Cinema e Antropologia, com seminários, debates e workshops anuais, no mesmo evento. Como antropóloga, participou de diversas pesquisas na área da religiosidade popular desde os anos80, quando desenvolveu seu interesse pelo diálogo da antropologia com a imagem. Publicou com José Inácio Parente “Horizontes e Caminhos da Antropologia Visual”. Tem artigos publicados em diversas revistas científicas, coletâneas, catálogos, tais como: “Descrevendo culturas: etnografia e cinema no Brasil”, “Tendências do documentário etnográfico”, “Religión y documentales en Brasil” e “Meu Mestre Louco: Jean Rouch e a Mostra Internacional do Filme Etnográfico”. Dirigiu os filmes “Conversa com Gilberto Velho” (2012, 24min., NAI/UERJ e PPGAS/UFRJ), “Vídeo Memórias da Antropologia no Brasil. RBA. 50 anos (2003, RBA) e “Alumbramento: retratos de mulher” (2016, 5min, Interior Produções).

INVESTIMENTO

R$ 500,00 em 2 x de R$250,00 – primeira parcela à vista e outra no cheque ou cartão de crédito.

À vista: R$ 400,00 – 20% de desconto via depósito ou transferência bancária.

Parcelamento no cartão de crédito em até 12x pelo link do PagSeguro.

 

Inscrições através do e-mail espaco@telezoom.com.br ou pelos telefones: (21) 3497-7620/ (21) 3497-7621



Fale conosco

Nome:

E-mail:

Mensagem:


Marque o campo abaixo para confirmar